Eu preciso de atenção ! Porque sou carente ?

 
Todos nós passamos pela necessidade de atenção e afeto. Uns mais do que outros mas penso que, já todos nos passamos por isso.
A medida que os anos passam, ultrupassamos ou mantemos essa necessidade. Continuamos a sentir aquela necessidade de atenção, de ter alguém a cuidar de nós e nos fazer feliz de maneira a preencher assim as nossas necessidades emocionais.

O que a maior parte das pessoas não se apercebe é que tais atitudes, trazem graves problemas para a  vida pessoal. Sentimo-nos frustados com coisas mínimas, culpamos os outros pela nossa infelicidade e normalmente não confiamos ou simplesmente não nos conseguimos nos dar bem com ninguém!

A infelicidade começa a fazer parte de nós e sentimos que ninguém nos pode ajudar. Basicamente, estamos sozinhos no mundo. Perdemos a esperança porque ninguém consegue preencher o vazio em nós, e sentimo-nos magoados.


Há que ter algum controle porque o desespero não leva a nada. Infelizmente, e falo por experiência própria, isso pode destruir um relacionamento a curto ou longo prazo e cheguei a uma conclusão que podes ou não concordar comigo.

Depois de alguns anos a avaliar a relação cheguei a algumas conclusões depois de responder as seguintes perguntas:
  1. Será que ela está a procura de alguém que a faça feliz ou simplesmente cuide dela ?
  2. Será que ela só está interessada em amar, fazer sexo ou procura algum tipo de ajuda financeira ou emocional?
  3. Elá fica chateada comigo sempre que eu faço algo que não corresponde claramente a aquilo que ela pretende?
  4. Quando ela está sozinha, liga sempre para mim ou para alguém de modo a ultrupassar a sua solidão?
  5. Ela está-se sempre a queixar ou sempre chateada com algo?
  6. O relacionamento para ela é o centro do mundo? E o relacionamento com os nossos amigos? Como é?
  7. Ela fica chateada quando eu faço alguma coisa e não a incluo? 
  8. Ela sente ciúmes?
Ela corresponde a alguma dessas coisas e tenho a certeza que não é a única e a verdade é que as mulheres são muito mais sentimentais que os homens e deixam-se levar muito mais facilmente pelas suas emoções e não têm receios em mostrar isso.
 Isso não faz dela uma má pessoa, muito pelo contrário. Ela é uma excelente pessoa e possui características fantásticas e que a fazem destacar de entre todas as mulheres do mundo!
Muitas pessoas não conseguem admitir que sofrem desses problemas com medo de as fazer parecer pessoas desesperadas, loucas ou solitárias. E claro, ninguém quer dar a entender isso a ninguém. Isso é simplesmente a tua forma de ser, não te envergonhes com isso porque há uma solução e não é nenhuma doença sem cura. Saber gerir essas emoções pode fazer de ti uma pessoa feliz e por consequência, também aqueles que te rodeiam.

Quando digo que não deves ter vergonha de quem tu és digo isso porque normalmente esse problema surge na infância. Isso significa que algures no tempo, os teus pais falharam em alguma coisa e as tuas necessidades emocionais não foram correspondidas. Desculpa mas é a verdade. Faltou-te conforto, amor, suporte, etc. E, é bastante raro desenvolveres as tuas qualidades de controle emocional enquanto criança porque, os pais devem dar o máximo para cuidar de ti e construir o teu "ser". Não tens capacidades para fazer isso sozinho.

Quando chegamos a nossa fase adulta, já temos o nosso "eu" praticamente completo. As nossas capacidades de controle emocional já estão definidas com base em tudo aquilo que te disse anteriormente. Quando nos tornamos carentes, procuramos alguém que preencha as nossas necessidades emocionais. Procuramos um parceiro perfeito e para isso, enfretamos vários relacionamentos e várias separações. Porquê ? É simples, o fato de não sermos emocionalmente independentes faz com que passemos por muitas coisas e nos magoemos bastante durante o percurso e as vezes, o nosso parceiro tende a ter também essa necessidade.

Quando nos magoamos o que fazemos? Culpamos o outro. Porquê? Porque eles não estiveram lá para nos auxiliar. Sempre que algo de mal nos acontece fazemo-nos de vítimas durante muito tempo porque não suportamos a ideia de alguém nos ter feito mal. Estou certo?

O segredo está em ganhar alguma confiança e controle emocional. Procuramos a nossa felicidade nos outros mas essa é uma fonte de felicidade muito pouco viável. As pessoas vão e veem ou simplesmente não poderão estar lá para ti devido as suas vidas pessoais.

O trabalho dos outros não é fazer-te feliz mas, ainda assim eles tentam ao máximo preencher as tuas necessidades emocionais. Por isso, o primeiro passo é entender que a nossa felicidade não depende dos outros. Nós criamos a nossa própria felicidade, sem precisar de ninguém.
A felicidade não está no futuro e muito menos nos outros. Está mesmo diante de ti, apesar de nunca a veres.
Encontrar a felicidade não é fácil mas, o primeiro passo é sentares-te e avaliares a tua situação. Faz isso durante alguns minutos. Olha bem no teu interior, compreende a forma como os teus pensamentos surgem. Fica a conhecer o funcionamento da tua mente. O objetivo é manteres a calma, concentrares-te e focares-te em ti.
Para além disso, uma outra forma de chegares até a felicidade é construíndo ideias. Como? Fazendo algo. Desenha, faz artesanato, qualquer coisa do género que ocupe a tua mente. Outra coisa é, aprenderes. Este é um ponto que não agrada muitas pessoas mas, a verdade é que, ocupares a tua mente aprendendo novas coisas todos os dias, não só te torna mais culta como te deixa feliz. A curiosidade é uma fonte infinita de felicidade. Acredita em mim pois, todos os dias acesso a internet e procuro algo novo para aprender e isso deixa-me sem dúvida mais feliz e faz-me sentir muito mais culto.
Aprende a resolver os teus problemas, Se estiveres aborrecido, faz algo para te entreteres. Se estiveres magoada com algo ou com alguém, com inveja ou desconfortável, resolve isso, levanta-te e faz algo. Toma responsabilidade pelos teus atos. Claro que é fácil culpar os outros pelos nossos problemas mas se esse for o caso, não será que estás a depender também dos outros para resolverem os teus problemas? Pensa nisso. Não será melhor procurares no teu interior pelas respostas aos teus problemas e fazeres algo por isso sem culpar os outros?
Se sentires vontade de te queixares, com falta de atenção ou mimos ou até mesmo a espera de alguém que parece nunca mais chegar então faz o seguinte, pega em ti e responsabiliza-te por tudo. Ajuda-te a ti mesmo, arranja uma forma de dar atenção e não apenas recebe-la e por fim, arranja uma forma de te destacares de forma grandiosa, mostrando a tua verdadeira força.

Cria a tua própria fonte de felicidade. Sai a rua e anda de uma forma diferente, mostra o teu novo lado, um lado alegre e independente. Sai do buraco em que estavas e vem ca fora amar os outros. Não esperes algo em retorno, ama simplesmente porque esse é a tua nova maneira de ser.

Etiquetas: