Sera que os actos da Rússia levarão a uma Guerra Mundial III?

Atualmente estão a acontecer coisas no nosso mundo que nos fazem pensar que, é possivel que uma Terceira Guerra Mundial se esteja a aproximar. Sinais bastante semelhantes aos da pré-Guerra Mundial II e custa-me admitir mas, normalmente a história tem o hábito terrível de repetir os cenários.

Já todos ou a grande parte das pessoas devem estar a par das notícias sobre a Rússia e a Ucrânia. No dia 27 de Fevereiro de 2014, soldados Russos marcharam e tomaram conta de vários aeroportos na Crimeia. Mais de seis mil soldados russos percorrem a peninsula da Crimeia e tomam controlo de várias bases militares, torres de comunicações e edifícios políticos.

Não é a primeira vez que a Russia "enfrenta" a Ucrânia e é bastante claro que isto faz parte de um plano a ser desenvolvido há já algum tempo.
Desde 1783 que a Ucrânia e a Russia têm alguns conflitos em torno da Crimeia, deixando essa pequena peninsula numa situação de difícil coexistência. A entrada das forças militares russas no terreno ucrâniano só provoca e aumenta ainda mais a tensão dentro da península.

O eleito do parlamento, Sergey Aksyonov fez uma declaração dizendo que irá seguir ordens do presidente fugitivo da Ucrãnia, Viktor Yanukovych que de momento procura refúgio na Russia.

 Os Nacionalistas ucranianos estão a considerar as ações do presidente russo Vladmir Putin , um acto de guerra e os russos na Ucrânia chamam a isso um acto de salvação. Ao longo de todo o país podemos assistir (para quem não se encontra no local claro) através dos jornais e TV os vários motins que têm ocorrido a medida que estes dois países se enfrentam.

As tropas militares russas estão situadas na mesma capital onde antes ocorreu o impulso para a Guerra Mundial II. No mapa acima consegues identificar a força política das forças aliadas da Ucrânia. A área azul representa  uma área pró-Russia pois estão a favor do presidente Viktor Yanukovych enquanto que, a área roxa representa áreas da candidata opositora, Yulia Tymoshenko, uma política ucrãniana. Quanto mais escura for a área, maior é o suporte recebido por esses países.

Carcóvia e Donetsk são duas grandes cidades ucrânianas com grandes infra-estruturas industriais e encontram-se no mapa firmemente a azul. Ambas as cidades possuem história russa.
Esta é uma batalha para ver quem é o povo eleito e merecedor de governar. A Russia está a ter uma grande sorte pois nos países que está a invadir, está a conseguir aliados a sua causa.

Até agora o que podemos ter a certeza é de que, os actos de invasão a Crimeia não são considerados uma ameaça de guerra com todo o mundo. O propósito desta rivalidade é simplesmente converter partes da Ucrânia em territórios russos. Quem esteve/está atento as notícias deve ter visto e ouvido o avizo do presidente Obama sobre os "custos" que esta invasão trará se a russia decidir continuar a avançar. Um caso bastante sério visto que nos dias que correm, a expressão "guerra nuclear" tem outras proporções.

 Nenhum de nós quer, concerteza, assistir a uma guerra nuclear por parte da America e da União Europeia e Rússia. A verdade é que, isso seria impessável e muito pouco provável de acontecer e penso que é isso que motiva o presidente Putin a continuar pois ele sabe que tanto a America como a União Europeia simplesmente NÃO USARÃO armas nucleares contra ele.

Em 2008, altura em que Putin ainda era primeiro-ministro, tanto a Russia como a Geórgia entraram num conflito que durou cerca de 5 dias e que resultou no uso de bombas nucleares por parte da Russia, na capital da cidade da Geórgia. Isso alertou o mundo para uma situação de extrema sensibilidade com, diversos grupos de pessoas e até o próprio governo de diversos países a alertarem a Rússia para a situação e a, de uma forma bastante direta, ameaçar que retirassem de imediato as suas forças e parassem também com os ataques mas, de nada adiantou e a Rússia simplesmente continuou sem quaisquer problemas até que, de livre e espontânea vontade, decidiu retirar-se da Geórgia e declarou que "Geórgia fora o suficientemente castigada".
Dito isto, acho que a Rússia tem a plena consciência que as ameaças e as palavras do resto do mundo não passam disso: simples palavras. A história está-se a repetir e mais uma vez, a Rússia pensa que se pode safar simplesmente fazendo o que bem entende até conseguir atingir os seus objetivos. A situação que está a decorrer em território ucraniano é uma prova da visão de governante que a Russia possui, achando que as suas ações não têm consequências para si.

Etiquetas: