O que aconteceu ao corpo de John F. Kennedy?

O que irás ler aqui nesta publicação é a história horripilante e misteriosa sobre o corpo de John F. Kennedy após o seu assassinato (Clique aqui se quiseres saber mais acerca deste homem).

Quem analisa com precisão o caso da morte do antigo presidente John F. Kennedy não consegue negar que o seu assassinato foi deverás estranho. O caso está cheio de coicidências e circunstâncias estranhas mas, o mais estranho de tudo é sem dúvida o fato de o corpo de JFK ter sido encontrado sem grande parte do seu cérebro.

A verdade é que, depois de levar o tiro, era de esperar que houvesse alguma ausência de cérebro na cabeça do presidente Kennedy porque depois de Oswald Kennedy disparar a arma, viu-se pedaços do crânio de JFK a ficarem espalhados por todo o lugar. Depois de chegar ao hospital, os médicos notaram que o presidente Kennedy segurava algo na sua mão: era um grande bocado do seu cérebro. Mas o pergunta era: O que acontecerá ao resto?

Depois da autópsia, o cérebro foi colocado num recipiente de aço inoxidável e trancado num armário na Casa Branca, pelos Serviços Secretos dos E.U.A. O irmão de JFK, Robert Kennedy transferiu o cérebro para o Arquivo Nacional, juntamente com outras peças relacionadas com a autópsia, tais como amostras de sangue e fragmentos de ossos. Um ano depois, durante uma revisão por parte dos funcionários, foi notado que alguns dos itens haviam desaparecido. Artigos como os tecidos e bocados do cérebro do presidente. Foram questionadas mais de 30 pessoas sobre o sucedido mais ninguém parecia saber nada.

Depois de alguns anos mantido em segredo, finalmente o mistério do desaparecimento foi revelado em 1978 quando o comitê de homicidios revelou publicamente que alguém havia perdido a massa cinzenta de JFK. Houve muitas teorias de conspiração relacionadas com o fato de o presidente Kennedy ter perdido o seu cérebro. A maioria das pessoas por detrás dessas teorias de conspiração afirmaram que, o governo se encontrava por detrás de tudo e que perderá propositadamente o cérebro de JFK de maneira a certificarem-se que ninguém descobria quantas balas realmente acertaram o presidente ou qual o ângulo em que elas vieram.

Outra teoria diz que, o seu irmão Robert Kennedy, roubou o cérebro para esconder problemas de saúde que JFK sofria, problemas esses relacionados com o uso de drogas. JFK usava grandes quantidades de medicamentos para tratar a sua dor nas costas.  Kent Sepkowitz argumenta contra esta teoria dizendo que a análise do cérebro de Kennedy em 1966, revelou pouco sobre a saúde física do presidente.

Ainda nos dias de hoje, os médicos não conseguem confirmar se JFK abusava ou não de drogas.

Etiquetas: